PEC dos Precatórios pronta para votação

Esse artigo faz parte da série Notícias Comentadas que sai todas as Terças-feiras aqui no nosso blog. Semana passada comentamos sobre a possibilidade de cancelamento de Precatórios Federais. Hoje a reportagem é sobre a PEC dos Precatórios.
 
PEC dos Precatórios
A Proposta de Emenda Constitucional 212/2016, também conhecida como a PEC dos Precatórios está finalmente pronta para ser votada no plenário da Câmara dos Deputados. O projeto de autoria do senador José Serra pretende estipular um prazo máximo para o regime especial de pagamento de Precatórios. Além de um percentual mínimo que seria depositado em uma conta administrada pelo tribunal regional.
A última alteração feita no projeto foi por sugestão da OAB que é referente justamente ao prazo. A sugestão, que foi aceita, impede que o prazo seja estendido além dos 10 anos. Isso se deve ao fato que um prazo maior iria de encontro à decisão do STF na Ação Direta de Inconstitucionalidade 4.357.

O que significa na prática a PEC dos Precatórios?

A PEC além de regulamentar o prazo, estipula um valor mínimo. Esse valor e baseado na Receita Corrente Líquida do estado ou município. A RCL é o valor de impostos e outras receitas do devedor com os descontos dos valores de previdência e assistência social dos servidores.
Os percentuais depositados são baseados na receita dos 11 meses anteriores, e um valor de mínimo 1/12 deve ser depositado a cada mês.

Sugestões da OAB

Além do prazo, outras sugestões da OAB também foram aceitas, como a ampliação do pagamento prioritário. Com isso idosos e portadores de doenças graves tem a possibilidade de antecipação do recebimento. Outra alteração, permite a compensação tributária por parte do credor do Precatório, mesmo que não haja legislação estadual/municipal permitindo. Isso permite a redução do volume dos Precatórios, que vem crescendo ano após ano a dois dígitos.
Haverá também um fundo garantidor que obrigue que o dinheiro depositado seja utilizado apenas para pagamento de Precatórios.  Isso abre a  possibilidade da utilização de depósitos judicias sem que o mesmo entre na conta do ente devedor.

Quanto os estados e municípios tem que pagar?

O mínimo estipulado na PEC dos Precatórios varia conforme a dívida atual que o estado ou município já possui. Caso o montante total de Precatórios seja inferior a 35% do valor da RCL, eles são obrigado a dedicar no mínimo 0,5% da renda por ano.
Já para Municípios que tenham mais de 35% da receita comprometida, o mínimo que eles tem que depositar na conta judicial é de 1,5%. Os Estados tem um limite mínimo de 2% caso estejam acima dos mesmos 35%.

Legitimação do acordo com credores

A PEC torna válido também os acordos com os credores, mas limita o valor a ser utilizado.  Há a obrigação de se utilizar ao menos metade do total depositado no pagamento por ordem cronológica. A outra metade pode ser usada para acordo direto com credores, desde que o percentual de desconto do valor não seja maior que 40%.
 
Baseado no artigo do Consultor Jurídico do dia 16 de Setembro
 
Este artigo faz parte da série ” Notícias comentadas?” aqui do nosso blog. Postagens dessa série sempre ocorrem às terças-feiras. Quer acompanhar? Cadastre seu e-mail na nossa newsletter e saiba quando outro texto desta e de outras séries for postado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *